terça-feira, 17 de abril de 2012

Right By Your Side

 
Porque quando eu disse que te amava era exatamente o que eu queria dizer.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Cartas Passadas


Me pergunto qual deve ser o peso da bolsa do carteiro.
Não vejo por aí carteiros cansados, de costas curvadas pelo peso das correspondências. Vejo por aí carteiros rápidos, andar ágil. Com certeza estes não carregam, em meio a tantas contas, alguma carta de amor. Porque cartas de amor são pesadas. O amor não é coisa leve.
Você pode até me dizer que suas contas, por possuírem intermináveis dígitos numéricos, chegam a pesar toneladas, mas nada me convence que o mais pesado é sim o amor!
Veja você àquelas pessoas que amam; são amores tão pesados que muitas vezes os casais enamorados não suportam a luta contra a gravidade. Passam dias estirados na cama, vencidos por uma força maior. Mas voltemos ao correio e sejamos questionadores:
Ninguém mais escreve cartas de amor?
Queria eu receber a ilustre presença de um carteiro ofegante mas com uma boa expressão ao dizer “toma, é de sua amada”. E logo que eu abrir o envelope teria nas primeiras linhas a esquecida brega arte de dizer “Me desculpe a tinta borrada é que não pude conter minhas lágrimas...”.
Não se assustem quando vocês estiverem daqui a alguns anos, você com seu devido esposo, você com sua devida esposa, em um passeio dominical por algum museu e vossos filhos perguntarem:
_O que está escrito naquele papel amarelado?
_Aquilo, meu filho, era o amor.

quarta-feira, 4 de abril de 2012