terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Big Bang


Subi a escada em passos largos. O peso da pressa fez ranger a madeira antiga. Era minha chegada anunciando-se.
Abri a porta como se fosse saída de emergência e a minha fuga era para encontrar você.
Em laço lhe tomei em braços, teu ar traguei e de volta soprei cores naturais de você.
Era o meu amor em matiz.
Medi seu corpo em medida de minhas falanges.
Seu corpo Geografia, transpor em escala real.
Arrancávamos nossas peças, parecia teatro. Uma peça ensaiada.
Era nadar em lençóis com nossos afagos.
Era perder a respiração, eu afogo.
Pêlos a vista.
Pelo visto cortamos a noite, sangrando estrelas a lua caiu.
Mas a fricção de nossos corpos faz nascer planetas.
Moça, somos um Big Bang! 

domingo, 2 de dezembro de 2012

Ninguém Vai Viver Por Mim - Sérgio Sampaio


E eu, boêmio cantor da lua
Doido que não se situa
Fui procurar viver além de mim
E eu, simples cantar solitário
Entre malandros e otários
Vivo o que sou, ninguém vive por mim♪


sábado, 17 de novembro de 2012

Sou Sim Clichê

Sei sim ser um clichê ambulante
Tragam-me os goles, tragam-me as dores
Tragam-me os tragos mas não me tragam mais amores
Pois deste mal também me corroo
Me dói e me doo
Pois se é de corte deve existir algo que cauteriza
Pois se das dores não escapo deve haver algo que ameniza

Eu largo os cotovelos na mesa suja do bar frio
A noite também é suja e me torno um vira lata vadio
E para ser mais clichê eu agora precisava de um jornal
Ler notícias por alguns instantes e fazer parecer tudo normal
Quem me vê de perto achará tudo bem natural
Eu que me vejo de dentro me sinto por demais um cara pra lá de banal

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Desapego

-->
Hasteio a bandeira  e me prontifico a representar o desapego.
Não esse desapego que é disposto pelos jovens vorazes, que por tanta intensidade tudo se torna pesado e, por falta de espaço, leveza não há.
Desapegar é subir na mais alta montanha, encontrar lá a mais bonita flor e, simplesmente, não contar para ninguém.  É apropriar somente pelo olhar.
Desapego não é o descartar, desapegar é carregar no sorriso aquilo que a gente se esforça para carregar no peito. Desapego é aliviar-se.
Desapego é postura, posto que o apego é sentimento  sobreposto, amontoado, tumultuado, em demasia desgastado e por pressão encurralado.
Desapego mesmo é o bastar-se.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Mágico Falido


Triste encanto de um mágico falido
Fez sumir o amor e, de fato, ele nunca mais voltou